13 October 2005

Um nobel a sério


Se há quem traduza a obscuridade profunda do quotidiano, o vaivém das vozes imediatas, a redoma às vezes sórdida da alma em apuros, ou o brilho solitário de um aceno quase inesperado... é Harold Pinter. Parabéns!

0 Comentários:

Post a Comment

<< Home